Produtos BRP têm papel importante na base brasileira na Antártida

Quadriciclos Can-Am, motores de popa Evinrude e motos de neve Ski-Doo são utilizados para a realização de pesquisas na Estação Antártica Comandante Ferraz
Fonte: Mundo Press

Quadriciclo da Can-Am em operação na base brasileira localizada na Antártida Crédito: Divulgação

Quadriciclo da Can-Am em operação na base brasileira localizada na Antártida Crédito: Divulgação

A funcionalidade dos produtos BRP pode ser aplicada em inúmeras situações, inclusive nas mais extremas. Os quadriciclos da Can-Am, os motores de popa da Evinrude e as motos de neve Ski-Doo, todos assinados pelo grupo canadense, têm papel importante para a realização de pesquisas na Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira localizada na Antártida.

Para garantir segurança e agilidade no trabalho, os produtos BRP foram escolhidos como apoio em deslocamentos no gelo e na água. A grupo canadense presta suporte completo aos profissionais envolvidos no projeto, inclusive com sessões de treinamento para a utilização dos produtos.

“Nos últimos cinco anos, recebemos as equipes da Marinha do Brasil que se preparam para render os profissionais instalados na base brasileira na Antártida. O objetivo é treinar o novo grupo para a utilização dos produtos BRP durante as pesquisas”, explicou Alexandre de Moraes, coordenador de desenvolvimento de rede da BRP na América Latina.

As aulas são ministradas no centro administrativo da BRP no Brasil, localizado em Campinas, interior paulista. “Durante o treinamento, passamos noções básicas de funcionamento e manutenção para os engenheiros e mergulhadores da Marinha. O objetivo é que eles tenham autonomia para manter os produtos em operação e para garantir a segurança dos pesquisadores e o abastecimento da base durante as missões’, concluiu Moraes.

Os estudos da Estação Antártica Comandante Ferraz têm como objetivo analisar o impacto de mudanças ambientais globais no Pólo Sul e suas consequências para as Américas, inclusive para a região amazônica. Aumento da temperatura global, efeito estufa, aumento do buraco da camada de ozônio e poluição estão entre os temas das pesquisas.

Publicado em CAN-AM

Brasileiro de Rally Baja – Rodrigo Varela amplia liderança dos UTVs após vitória no Rally Serra Azul

Piloto paulista vence disputas em São Manuel (SP) e abre 43 pontos de vantagem para o vice-líder, seu irmão Bruno Varela; Veículo Can-Am Maverick X3 é a escolha de nove entre os 10 primeiros colocados.
Fonte: Mundo Press

Rodrigo Varela, a bordo do Can-Am Maverick X3, durante a disputa do Rally Serra Azul, em São Manuel (SP) Crédito: Nikolas Gavlak/DFotos/Mundo Press

Rodrigo Varela, a bordo do Can-Am Maverick X3, durante a disputa do Rally Serra Azul, em São Manuel (SP) Crédito: Nikolas Gavlak/DFotos/Mundo Press

Rodrigo Varela venceu o 4º Rally Serra Azul, realizado nos dias 12 e 13 de outubro em São Manuel (SP), e abriu boa vantagem na liderança da disputa entre os UTVs do Campeonato Brasileiro de Rally Baja. O paulista foi o mais rápido da prova válida pela 11ª e pela 12ª etapas da competição nacional, somando 43 pontos de vantagem sobre o seu irmão Bruno Varela, o vice-líder, a apenas três etapas do fim do certame. Os pilotos utilizam o Can-Am Maverick X3, a escolha de nove pilotos do Top 10 dos UTVs no Rally Serra Azul.

Rodrigo Varela faturou o troféu no interior paulista após alcançar o primeiro lugar na etapa realizada nesta sexta-feira e o quarto nas disputas deste sábado. “A prova foi muito boa, bastante rápida. No primeiro dia, abri uma ótima vantagem com relação aos outros competidores e pude administrar na etapa seguinte”, contou. Ele foi campeão em 2015 e busca o segundo título brasileiro da carreira. “Agora, vou me preparar bem para as próximas etapas e tentar manter estes bons resultados. O objetivo é ficar cada vez mais perto do bicampeonato”, continuou o piloto.

Varela elogiou o desempenho do Can-Am Maverick X3 na prova, formada por cerca de 400 quilômetros de desafios. “Os UTVs da Can-Am foram muito bem mais uma vez: ficaram nas três primeiras posições, o que mostra que o carro está muito bom, muito bem desenvolvido para a corrida”, disse.

Patrocinado pela Can-Am, o evento realizado em São Manuel teve como base o Recinto Mário Covas e reuniu, além de UTVs, quadriciclos e motocicletas. A antepenúltima e a penúltima (13ª e 14ª) etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja serão disputadas em Barra Bonita (SP), nos dia 10 e 11 de novembro.

Rally Serra Azul 2018 (11ª e 12ª etapas do Brasileiro de Rally Baja 2018)
Classificação final – Categoria UTVs

1 – #102 – RODRIGO VARELA – 2:31:11 – Can-Am Maverick X3
2 – #103 – ANDRÉ HORT – 2:31:28 – Can-Am Maverick X3
3 – #101 – BRUNO VARELA – 2:31:39 – Can-Am Maverick X3
4 – #132 – EDU PIANO – 2:32:16 – Can-Am Maverick X3
5 – #115 – CRISTIANO BATISTA – 2:33:18 – Can-Am Maverick X3
6 – #111 -MAURÍCIO ROCHA – 2:34:30 – Can-Am Maverick X3
7 – #110 – NUNO FOJO – 2:34:37
8 – #110 – DENINHO CASARINI – 2:35:59 – Can-Am Maverick X3
9 – #119 – ANDRÉ SAWAYA – 2:36:23 – Can-Am Maverick X3
10 – #114 – CHRISTIAN KLAWA – 2:36:23 – Can-Am Maverick X3

Publicado em Campeonato Brasileiro de Rally Baja

Brasileiro de Rally Baja – São Manuel (SP) é palco das próximas etapas

Rally Serra Azul reúne grid de peso na categoria para UTVs, a bordo do Can-Am Maverick X3; Projeto Ideia Fixa confirma ação socioeducativa na cidade paulista
Fonte: Mundo Press

Deninho Casarini, a bordo do Can-Am Maverick X3, durante etapa do Brasileiro de Rally Baja Crédito: Doni Castilho/DFotos/Mundo Press

Deninho Casarini, a bordo do Can-Am Maverick X3, durante etapa do Brasileiro de Rally Baja Crédito: Doni Castilho/DFotos/Mundo Press

A cidade de São Manuel, no interior paulista, está pronta para sediar o 4ª Rally Serra Azul nos dias 12 e 13 de outubro. A prova é válida pela 11ª e 12ª etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja e contará com a presença de grandes feras da modalidade. Atração à parte, a categoria para UTVs reserva fortes emoções a bordo dos veículos Can-Am Maverick X3.

O piloto Rodrigo Varela, líder isolado dos UTVs no certame nacional, vai em busca de mais um triunfo. Ele é o primogênito da conhecida “Família da Poeira”, sendo que o irmão caçula, Bruno Varela, vice-líder do Brasileiro, está confirmado nas disputas. O patriarca Reinaldo Varela, atual campeão dos UTVs no Rally Dakar, também entra forte na briga pela vitória na prova – todos aceleram o UTV Can-Am Maverick X3.

“A expectativa para o Rally Serra Azul é muito boa”, disse Rodrigo Varela. “Vou competir em uma região onde me dei muito bem no início do campeonato, quando consegui encaixar uma sequência de vitórias. Espero vencer novamente”, afirmou o paulista. “Será uma prova disputada em um solo de areia pesada. O Can-Am Maverick X3 se sai muito bem neste tipo de terreno e não deve ser diferente desta vez”, concluiu.

Outros destaques no grid da categoria para UTVs são os pilotos Deninho Casarini (equipe Casarini) e Maurício Pena Rocha (Quadrijet). O Rally Serra Azul, patrocinado pela Can-Am, também conta com categorias para quadriciclos e motocicletas. A base do evento será o Recinto Mário Covas e os competidores terão cerca de 400 quilômetros de desafios a serem percorridos.

Ação socioeducativa – Nesta quinta-feira (11), às 14h, alunos da EMEFEI Professor Hélio Silva com idades entre 5 e 10 anos irão participar de uma atividade socioeducativa promovida pela Arena Promoções e Eventos em parceria com o Projeto Ideia Fixa.

A ação, que faz parte da programação do Rally Serra Azul e visa o Dia das Crianças, celebrado no dia 12, consiste na distribuição de kits com livros de histórias infantis, cartelas de adesivos, brindes em EVA, produtos de beleza, creme dental e escova. Além disso, haverá uma apresentação do Teatrinho da Turma do Tupício.

O projeto Ideia Fixa, que é patrocinado pela Can-Am desde 2013, já beneficiou mais de 143 mil pessoas em 17 Estados brasileiros.

4º Rally Serra Azul – 11ª e 12ª etapas do Brasileiro de Rally Baja 2018
Parque de Apoio: Ginásio de Esportes Recinto Mario Covas, em São Manuel (SP)

Programação*

Quinta feira (11/10)
14h – Ação Social do Projeto Ideia Fixa (Local: EMEFEI Professor Hélio Silva)
Das 15h às 18h – Secretaria de prova
Das 15h30 às 18h30 – Vistoria de motos, UTVs e quadris

Sexta-feira (12/10)
Das 7h às 9h – Secretaria de prova
Das 7h30 às 9h30 – Vistoria de motos, UTVs e quadris
10h – Briefing
13h – Largada do primeiro piloto
13h30 – Largada do primeiro piloto no trecho cronometrado
19h30 – Briefing

Sábado (13/10)
9h – Largada do primeiro piloto (1ª volta)
12h – Relargada do primeiro piloto (2ª volta)
16h30 – Premiação no Ginásio de Esportes Mário Covas.

* A programação é fornecida pela organização do evento e está sujeita a alterações.

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja

Helena tem um plano: inspirar mulheres a ocuparem espaços no automobilismo

Fonte: Plano Feminino

Helena Deyama no Rally dos Sertões 2018. Crédito: Ricardo Leizer

Helena Deyama no Rally dos Sertões 2018. Crédito: Ricardo Leizer

Helena Deyama é uma mulher cheia de Planos e que tem a ação, o automobilismo correndo nas veias. Ela é Piloto de Rally, Instrutora de direção Preventiva e Defensiva, Designer Gráfica e Artista Plástica, diretora da Luart Studio Arte e Criação, empresa de Design e Publicidade.

Em 2005, Helena foi a primeira mulher a vencer o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e em 2014, a primeira mulher a vencer o Campeonato Brasileiro de Rally BAJA com um UTV. Só por aí já é possível perceber que ela é uma mulher que veio pra quebrar barreiras.

Ela diz que sempre gostou muito da velocidade, autocontrole, domínio e liberdade e que isso motivou sua paixão pelo automobilismo. Como sempre gostou de motos e carros, chegar a lugares pouco explorados, de difícil acesso pilotando veículos off-road a conquistaram, mas pra chegar até lá não foi fácil.

Helena Deyama no Rally dos Sertões 2018. Crédito: Vinícius Ferraz

Helena Deyama no Rally dos Sertões 2018. Crédito: Vinícius Ferraz

Os pais de Helena eram de origem simples. Seu pai era professor Universitário, funcionário público e a mãe, dona de casa. Com 17 anos, Helena já tinha um Plano: queria comprar uma moto. Então, saiu em busca de trabalho para conquistar o que desejava.

Foi juntando dinheiro que, dois anos depois, ela conseguiu comprar sua primeira moto, que era seu meio de transporte para a faculdade e o trabalho. Ah, ela aproveitava pra se divertir com ela fazendo uns passeios no meio da terra, pra trazer um pouco de adrenalina para as suas horas de lazer.

Helena percebeu que queria mais, achava que sua moto era pequena para o que ela deseja fazer, mas sentia algumas dificuldades em pilotar motos maiores, por causa do seu tamanho, já que tem 1,54m. Foi aí que decidiu que compraria um jipe, queria investir no automobilismo, mas, como nada é tão fácil como parece, demorou 10 anos para que este plano saísse do papel. Mas, assim que conseguiu comprar, começou a participar de rallys e a vencer!

Em um ambiente predominantemente masculino, Helena enfrentou dificuldades financeiras, já que esporte a motor é bastante caro, e também muitas situações de preconceito por ser mulher em um esporte tido como “esporte de homem”.

“Na primeira competição em que me inscrevi, eu era a única mulher pilotando e os outros competidores achavam que eu iria atrapalhar por andar muito devagar ou não ter habilidade para superar os obstáculos, não ter resistência para aguentar até o final da prova. Mas, para a surpresa geral de todos, eu venci a prova, deixando todos os incrédulos competidores para trás… então, acharam que foi sorte de principiante!

Tive de provar a minha capacidade, que fui conseguindo com várias vitórias obtidas, e hoje sou uma piloto bem respeitada neste meio predominantemente masculino.”

A piloto diz que a aventura de vencer obstáculos, dominar o veículo e integrar-se ao meio ambiente natural, traz a ela um bom preparo psicológico e de pilotagem. Helena já fez  viagens e expedições de até 10.000km, se aventurando pelos lugares mais interessantes do território brasileiro e Sul Americano. (Lençóis Maranhenses – MA, Pantanal – MT, Chapada Diamantina – BA, Chapada dos Veadeiros – GO, Deserto do Jalapão – TO, Amazônia – AM, Chapada dos Guimarães – MS, Serra da Capivara – PI, Parque Nac. Sete Cidades PI, Serra da Canastra MG, Serra do Cipó MG, Aparados da Serra SC , Deserto do Atacama CH – entre outros), algumas vezes em grupos, outras totalmente sozinha.

Mas, o gosto pelas competições foi crescendo, se tornou um plano de vida, a realização de um sonho, com a participação em provas de regularidade com obstáculos (raid) e provas de velocidade (rally). A dedicação pelo esporte, pelo automobilismo, também foi aumentando e ela estava sempre em busca de melhores resultados com o aperfeiçoamento da técnica.

Além da sua vida profissional como designer, Helena diz que o automobilismo é sua vida e dedica a ele o maior tempo possível atuando também com cursos de direção preventiva e defensiva para diminuir o número de acidentes no trânsito, cursos de técnicas de off road e palestras sobre manutenção e mecânica. Ela completa dizendo o quanto isso a faz feliz.

“Uma das minhas grandes conquistas foi em 2005, quando fui a primeira mulher a vencer um Campeonato brasileiro de Rally. Este é o resultado desta dedicação e, além de tudo, uma grande realização pessoal. Em 2014 venci o Campeonato Brasileiro de Rally Baja, e em 2016 conquistei o Bi-Campeonato no Baja. É o orgulho de estar representando todas as mulheres vencedoras, não só no automobilismo, mas na vida!”

A participação feminina neste esporte é muito pequena, as poucas mulheres que estão neste meio tem influência de alguém na família atuando no automobilismo. “Dizem que sou uma exceção, porque entrei no meio por iniciativa própria, não tinha amigos nem parentes “Pilotos”, tinha só a vontade de pilotar, acelerar, fazer trilhas, vencer desafios, conquistar o mundo pilotando um veículo 4 x 4, subir cada vez mais no lugar mais alto do pódio.

“Meu plano é ser incentivo para que outras mulheres participem do esporte, que a meu ver não é esporte masculino, dá para participar de um rally sendo uma mulher, sim. Compenso a menor força física em relação aos homens, com maior determinação, disciplina, técnica, estratégia e concentração.

Eu sempre dei prioridade para o meu lado profissional, mas estou numa fase que quero cuidar do lado pessoal. Estou em busca de encontrar um relacionamento que me faça feliz, me complete, mas sem deixar de evoluir como profissional, sempre em busca de novos conhecimentos e compartilhar experiências para ajudar as pessoas.”

Para as mulheres que estão em busca dos seus planos, a piloto ainda dá uma dica: “Acreditem nos seus sonhos e tracem planos que as façam felizes. Nunca desistam com as dificuldades.”

Saber ser competitiva com regularidade, sem destruir o equipamento, usando a cabeça e o conhecimento adquirido com a experiência, tem sido uma estratégia de sucesso. Hoje, a velocidade, o domínio sobre o veículo, a superação são os objetivos perseguidos.”

Helena diz que as pessoas ainda se surpreendem quando sabem que ela é uma piloto de rally, porque o esporte e o comportamento de uma atividade tão competitiva, são bastante assimiladas a comportamentos masculinos, são normalmente estereotipados. “Meu biotipo de descendência oriental, pequena e delicada, não condiz com a imagem que as pessoas fazem de um piloto de Rally. Eu me divirto muito com a reação das pessoas quando desço do carro após a competição e tiro o capacete. O comentário que ouço é o seguinte: ‘Não acredito que era você que estava pilotando este carro de forma tão radical, veloz e agressiva!’”

Mas, Helena está aí mostrando cada vez mais que mulheres podem ocupar qualquer espaço e serem excelentes no que fazem. E é assim que ela vence diariamente os preconceitos e desafios por ser uma mulher pilotando veículo de rally. O resultado vem nas vitórias conquistadas e, com isso, o respeito de todo mundo ao redor, porque mulher pode ser o que ela quiser.

Recentemente, ela foi convidada para ser embaixadora do maior evento de Mobilidade Urbana e diz que está cada vez mais feliz em ver tantas coisas se tornando realidade. “Viver por um propósito que impacte o mundo sempre foi um combustível para mim. Refletir sobre como vivemos, trabalhamos, nos locomovemos é inevitável: repensar um futuro melhor através da mobilidade pode ser a chave para as mudanças que precisamos.

Publicado em CAN-AM

Brasileiro de Rally Baja – Bruno Varela vence o Rally Rota SC

Atual campeão brasileiro, piloto paulista é o grande destaque da prova a bordo do UTV Can-Am Maverick X3; Rodrigo Varela segue na liderança do campeonato
Fonte: Mundo Press

Bruno Varela, atual campeão brasileiro de Rally Baja, a bordo de um Can-Am Maverick X3 Crédito: Luciano Santos/DFotos/Mundo Press

Bruno Varela, atual campeão brasileiro de Rally Baja, a bordo de um Can-Am Maverick X3 Crédito: Luciano Santos/DFotos/Mundo Press

O piloto Bruno Varela foi o mais rápido entre todos os veículos do Rally Rota SC, realizado neste fim de semana (22 e 23 de setembro) em Capão Alto, Santa Catarina. O paulista acelerou o UTV Can-Am Maverick X3 para garantir a vitória nos resultados acumulados da prova, que somou pontos pela nona e pela décima etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja – competição na qual é o atual campeão.

Esta foi a primeira vitória de Bruno Varela no Brasileiro de Rally Baja em 2018, após uma sequência de triunfos de seu irmão Rodrigo, que continua líder geral entre os UTVs apesar de não ter completado a prova deste final de semana. O pai deles, Reinaldo Varela, por sua vez, foi o mais rápido na categoria Over 40 e o segundo na classificação geral do Rally Rota SC. O patriarca da conhecida “Família da Poeira” se prepara para defender o título de campeão dos UTVs no Rally Dakar em 2019, novamente com o Can-Am Maverick X3.

“Foi um rally duro, com um percurso de muitas pedras. As especiais eram relativamente curtas, mas muito difíceis. Foi a prova mais difícil que fizemos neste ano. Consegui uma grande vitória e agora vou me preparar para o próximo desafio”, afirmou Bruno Varela, vencedor entre os UTVs no Rally Merzouga 2018 e no Rally dos Sertões 2017 a bordo do Can-Am Maverick X3.

O veículo da marca canadense foi a escolha de sete pilotos entre os dez primeiros colocados da prova. Nestas duas etapas do Brasileiro de Rally Baja, os pilotos percorreram mais de 270 quilômetros de trajeto. A base do evento realizado em Capão Alto foi o Parque Municipal de Eventos José Vieira de Cordova, sendo que a prova também reuniu quadriciclos e motocicletas. As duas próximas etapas do Brasileiro de Rally Baja serão disputadas em Itupeva (SP), nos dias 13 e 14 de outubro.

Rally Rota SC 2018 (9ª e 10ª etapas do Brasileiro de Rally Baja 2018)
Classificação final – Categoria UTVs


1 – #101 – BRUNO VARELA – 4:18:52.70 – Can-Am Maverick X3
2 – #112 – REINALDO VARELA – 4:19:47.76 – Can-Am Maverick X3
3 – #128 – MARCO ANTONIO GARCIA – 4:31:02.95
4 – #123 – LUCIANO DOS REIS – 4:34:32.44 – Can-Am Maverick X3
5 – #111 -MAURÍCIO ROCHA – 4:34:35.75 – Can-Am Maverick X3
6 – #129 – CRISTIANO VICENTE – 4:37:59.06 – Can-Am Maverick X3
7 – #110 – NUNO FOJO
8 – #103 – ANDRÉ HORT – 4:42:27.70 – Can-Am Maverick X3
9 – #130 – GUILHERME DI MASE – 4:46:32.56
10 – #119 – JOSÉ LUIZ CAMATA – 4:47:28.27 – Can-Am Maverick X3

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja

Brasileiro de Rally Baja vai a Santa Catarina neste fim de semana

Líder Rodrigo Varela e seu pai, o campeão do Rally Dakar Reinaldo Varela, estão entre os confirmados na categoria para UTVs com o Can-Am Maverick X3
Fonte: Mundo Press

Campeão do Rally Dakar, Reinaldo Varela está confirmado no Rally Rota SC 2018 Crédito: Doni Castilho/DFotos/Mundo Press

Campeão do Rally Dakar, Reinaldo Varela está confirmado no Rally Rota SC 2018 Crédito: Doni Castilho/DFotos/Mundo Press

Após dois meses de espera, as emoções do Campeonato Brasileiro de Rally Baja estão de volta. A cidade de Capão Alto, em Santa Catarina, recebe as feras da modalidade neste fim de semana (dias 22 e 23), no Rally Rota SC. As disputas serão válidas pela nona e pela décima etapas do calendário nacional. A categoria para UTVs promete show à parte e forte presença dos veículos Can-Am Maverick X3, grande maioria no grid.

Entre os destaques, estão os pilotos da conhecida Família da Poeira. O patriarca e atual campeão dos UTVs no Rally Dakar Reinaldo Varela garantiu presença, bem como seus filhos Rodrigo Varela, líder do Brasileiro de Baja, e Bruno Varela, vencedor da categoria no Rally Merzouga 2018 e no Rally dos Sertões 2017. Deni Nascimento (Sanautica) e Maurício Pena Rocha (Quadrijet) também reforçam a lista de inscritos.

Reinaldo Varela já está em fase de preparação intensa para a defesa do título dos UTVs no Rally Dakar 2019. “A ideia é competir o máximo possível para chegar no Dakar com um bom ritmo de prova. Estar nas provas proporciona experiências a mais e um entrosamento melhor ainda com o equipamento. Por isso, estou animado em acelerar o Can-Am Maverick X3 no Rally Rota SC”, explicou.

Líder isolado dos UTVs no Brasileiro de Rally Baja, Rodrigo Varela está de olho no título da temporada. “As expectativas são ótimas para o Rally Rota SC. A prova costuma ser rápida e com piso de cascalho, no qual eu gosto muito de andar. A meta é trabalhar para manter a liderança, o objetivo maior é conquistar o campeonato. Tenho uma boa vantagem e vou acelerar com consciência”, disse o piloto.

O Rally Rota SC, patrocinado pela concessionária BRP Montreal Powersports, também conta com categorias para quadriciclos e motocicletas. A base do evento será o Parque Municipal de Eventos José Vieira de Cordova, sendo que os competidores têm pela frente mais de 270 quilômetros de desafios. Confira a programação:

Rally Rota SC – 9ª e 10ª etapas do Brasileiro de Rally Baja 2018
Parque de Apoio: Parque Municipal de Eventos José Vieira de Cordova, em Capão Alto (SC)

Programação*
Sexta-feira (21/9)
Das 14h às 18h – Vistorias administrativas
Das 15h às 18h – Vistorias técnicas

Sábado (22/9)
8h30 – Briefing
9h – Prólogo para definição da ordem de largada (percurso de 1,1 km no Parque de Apoio)
10h – Largada do primeiro piloto no primeiro trecho cronometrado (74,5 km)
12h – Largada do primeiro piloto no segundo trecho cronometrado (74,5 km)
14h – Largada do primeiro piloto no Super Prime (1,5 km)
20h – Briefing

Domingo (1/7)
8h30 – Largada do primeiro piloto no trecho cronometrado (121 Km)
8h30 – Largada do primeiro piloto no Super Prime (1,5 Km).

* A programação é fornecida pela organização do evento e está sujeita a alterações.

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja

Desafio Inca – Can-Am Maverick X3 domina a categoria para UTVs

Veículo da marca canadense é a escolha dos seis mais rápidos da prova, entre os sete UTVs que completaram o desafio; Casey Currie/Fernando de Olazabal é a dupla vencedora
Fonte: Mundo Press

UTV Can-Am Maverick X3 é a escolha dos seis mais rápidos da categoria no Desafio Inca 2018 Crédito: Divulgação

UTV Can-Am Maverick X3 é a escolha dos seis mais rápidos da categoria no Desafio Inca 2018 Crédito: Divulgação

O Desafio Inca, no Peru, terminou neste domingo (16) e destacou a qualidade e a resistência dos UTVs Can-Am Maverick X3, o modelo atual campeão do Rally Dakar. A marca canadense foi a escolha dos seis mais rápidos e dominou a categoria para UTVs, denominada SxS, entre os sete veículos que completaram a prova. Os vencedores foram Casey Currie e Laurent Lichtleuchter, dos Estados Unidos, competidores oficiais da equipe South Racing Can-Am.

O desafio, 100% em solo peruano, percorreu mais de 900 quilômetros em três dias de disputas. A elite mundial do Rally Cross Country esteve presente e ainda utilizou a prova como preparação “de luxo” para o Rally Dakar 2019, marcado para janeiro também no Peru.

Cristian Baumgart e Beco Andreotti foram os melhores brasileiros no Desafio Inca. Eles confirmaram a terceira colocação entre os UTVs, seguidos pelos conterrâneos Marcos Baumgart e Kleber Cincea. Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, atuais campeões dos UTVs no Rally Dakar, foram os vice-líderes até a segunda etapa. Porém, no último dia de disputas, não completaram o percurso.

Resultados Desafio Inca 2018 – Categoria UTV (SxS)
1 – 202 – Casey Currie/Laurent Lichtleuchter – 012:47:01.0 – Can-Am Maverick X3
2 – 225 – Fernando De Olazabal – 014:40:29.0 – Can-Am Maverick X3
3 – 232 – Cristian Baumgart/Alberto Neto – 014:53:10.0 – Can-Am Maverick X3
4 – 222 – Marcos Baumgart/Kleber Cincea – 022:43:45.0 – Can-Am Maverick X3
5 – 217 – Hernan Garces – 058:27:45.0 – Can-Am Maverick X3
6 – 220 – Jose Salaverry/Paul Salaverry – 059:21:10.0 – Can-Am Maverick X3

7 – 237 – Enrique Umbert – 081:25:55.0.

Publicado em CAN-AM, Rally Cross Country

Brasileiros competem de UTV no Desafio Inca, no Peru

Piloto Reinaldo Varela e navegador Gustavo Gugelmin, atuais campeões do Rally Dakar, garantem presença a bordo do Can-Am Maverick X3
Fonte: Mundo Press

Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, campeões dos UTVs no Rally Dakar 2018, estão confirmados no Desafio Inca, no Peru Crédito: Daniel Halac/photosdakar.com/Mundo Press

Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, campeões dos UTVs no Rally Dakar 2018, estão confirmados no Desafio Inca, no Peru Crédito: Daniel Halac/photosdakar.com/Mundo Press

O Desafio Inca, no Peru, reserva muitos desafios entre os dias 14 e 16 de setembro. Válida como a etapa final do Dakar Series, a prova reúne alguns dos principais competidores de rally cross country do mundo distribuídos em 33 carros e UTVs, 11 quadriciclos e 47 motocicletas. Além de um bom desempenho, a maioria busca cumprir preparação “de luxo” para o Rally Dakar 2019, marcado para janeiro com roteiro 100% em solo peruano.

Destaques dos UTVs a bordo do Can-Am Maverick X3, o mesmo utilizado na conquista do título da categoria no Rally Dakar 2018, o piloto paulista Reinaldo Varela e o navegador catarinense Gustavo Gugelmin estão confirmados nas disputas. O Brasil também será representado pelas duplas Cristian Baumgart/Beco Andreotti e Marcos Baumgart/Kleber Cincea, ambas com o UTV Can-Am Maverick X3.

O Desafio Inca promete testar homens e máquinas ao extremo, em terrenos repletos de surpresas e muita exigência na navegação. Em três dias de prova, os competidores irão percorrer 951 quilômetros, incluindo 525 de especiais (trechos cronometrados). O plano de fundo será o famoso Deserto de Ica, com direito a passagens estreitas, areia fofa e enorme variedade de dunas.

“O Desafio Inca será muito importante para nós, ainda mais porque servirá como um excelente treino para o Rally Dakar”, explicou Reinaldo Varela. “O objetivo é fazer uma boa prova e aproveitar ao máximo a oportunidade de competir em uma região que fará parte do roteiro do Dakar. Outra meta é analisar o ritmo dos nossos concorrentes na defesa do título dos UTVs em 2019”, acrescentou.

Com mais de 360 provas off-road no currículo, Varela está ciente das dificuldades que o aguardam. “Além do terreno desafiador, o Desafio Inca terá concorrentes de peso. O grid dos UTVs é muito forte”, concluiu Varela.

Programação (Horários de Brasília) – Desafio Inca 2018

Quinta-Feira – 13/9
Das 10h às 14h – Verificações técnicas e administrativas no Club Social de Ica
Das 19h às 21h – Largada promocional em Huacachina

Sexta-feira – 14/9
Das 9h às 20h – 1ª etapa no Deserto de Ica

Sábado – 15/9
Das 9h às 20h – 2ª etapa no Deserto de Ica

Domingo – 16/9
Das 9h às 16h – 3ª etapa no Deserto de Ica
Das 19h às 21h – Chegada e cerimônia de premiação em Huacachina.

Publicado em CAN-AM, Rally Cross Country

Produtos BRP marcam presença na 41ª Expointer, em Esteio (RS)

Concessionária Marr Sul Powersports tem balanço positivo no evento, considerado um dos principais do setor agropecuário na América Latina
Fonte: Mundo Press

Estande da concessionária BRP Marr Sul Powersports na 41ª Expointer  Crédito: Divulgação/Marr Sul Powersports

Estande da concessionária BRP Marr Sul Powersports na 41ª Expointer Crédito: Divulgação/Marr Sul Powersports

Após nove dias de participação, a concessionária BRP Marr Sul Powersports teve balanço positivo na 41ª Expointer. O evento é considerado um dos principais do setor agropecuário na América Latina e foi encerrado neste domingo (2), no Parque de Exposições Assis Brasil em Esteio, Rio Grande do Sul.

O estande da Marr Sul chamou a atenção dos visitantes com os quadriciclos e UTVs da Can-Am, especialmente desenvolvidos para o ambiente off-road, e com as motos aquáticas da Sea-Doo. O UTV Can-Am Defender, ideal para uso em fazendas e zonas rurais, foi um dos destaques. “A feira recebeu visitantes de todo o Brasil e de diversas partes do mundo”, contou Jorge Luis Rien, da Marr Sul. A concessionária BRP possui lojas em Porto Alegre, Pelotas e Passo Fundo (RS).

Segundo a organização, circularam pelo parque 370.581 pessoas. “Este foi o quarto ano consecutivo que a Marr Sul esteve na Expointer. A iniciativa, mais uma vez, gerou ótimo fluxo de negócios. Os produtos da BRP têm muita identidade com o público, tanto as motos aquáticas da Sea-Doo quanto os veículos off-road da Can-Am”, concluiu Rien.

O balanço final de resultados da 41ª Expointer aponta volume de negócios superior ao que foi gerado na edição passada. Em 2018, o total de negócios foi de R$ 2.300.360.769,81 – valor 13% superior ao apresentado em 2017.

Publicado em CAN-AM

Passeio para quadris e UTVs destaca as belezas da Chapada Diamantina

Em três dias de aventura, evento organizado pela concessionária BRP Vittacar passou por locais paradisíacos na Bahia
Fonte: Mundo Press

Passeio para quadriciclos e UTVs promovido pela concessionária BRP Vittacar na Bahia. Crédito: Divulgação / Vittacar

Passeio para quadriciclos e UTVs promovido pela concessionária BRP Vittacar na Bahia. Crédito: Divulgação / Vittacar

As belezas da Chapada Diamantina, na Bahia, estiveram em foco em um passeio exclusivo para os fãs do off-road. Com oito quadriciclos e dois UTVs Can-Am, o grupo percorreu 300 quilômetros em um roteiro repleto de paisagens paradisíacas. A aventura foi organizada pela concessionária BRP Vittacar entre os dias 17 e 19 de agosto.

“Planejamos um passeio com distâncias curtas justamente para que o pessoal pudesse curtir o visual e os pontos turísticos do caminho”, explicou Bruno Ferreguete, proprietário do Grupo Vittacar.

“Passamos pelas cidades de Barra da Estiva, Andaraí, Lençóis e Mucugê, entre outras. Os destaques do percurso foram a Cachoeira do Buracão, Cachoeira do Roncador, Poço Encantado, Poço Azul e as trilhas da Serra do Camulengo”, continuou.

Em ambiente de caatinga, os participantes chegaram a 1200 metros de altitude. “O grupo, conhecido como a Turma do Piau, é bastante animado e já se conhece de outros passeios. Foi ótimo para estreitar ainda mais os laços. Tivemos ótima logística, com início próximo à loja Vittacar em Teixeira de Freitas”, concluiu Ferreguete.

A concessionária BRP Vittacar organiza passeios com frequência. Os interessados em participar devem procurar a loja mais próxima nos seguintes contatos: Teixeira de Freitas (73 3291-0474) e Lauro de Freitas (71 3051-3810), na Bahia, e Vitória (27 3200-3810) e Linhares (27 3151-0700), no Espírito Santo. Além dos produtos da Can-Am, a BRP é responsável pelas motos aquáticas da Sea-Doo e pelos motores de popa da Evinrude.

Publicado em CAN-AM