Irmãos Varela são os mais rápidos do Brasileiro de Rally Baja

Rodrigo é o líder, seguido por Bruno, após o Rally da Ilha; Novo UTV Can-Am Maverick X3 X RS volta a ocupar as primeiras posições da classificação geral
Fonte: Mundo Press

Rodrigo Varela a bordo do UTV Can-Am Maverick X3 X RS no Rally da Ilha Crédito: Doni Castilho/DFotos

Os irmãos Varela seguem na dianteira após a realização da terceira e da quarta etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja. As disputas tiveram como palco as areias do Rally da Ilha, em Ilha Comprida (SP). A bordo do novo UTV Can-Am Maverick X3 X RS, Rodrigo Varela venceu a etapa deste domingo (26) e continua na liderança da competição, na frente de Bruno. O caçula foi o mais rápido na prova deste sábado (25).

Assim como na abertura do Brasileiro, realizada há duas semanas no Rally de Barretos, o lançamento da marca canadense voou baixo e foi destaque na classificação geral do Rally da Ilha, na frente de motocicletas e quadriciclos. Desta vez, o Can-Am Maverick X3 X RS ocupou as cinco primeiras colocações nos resultados acumulados.

“A prova em Ilha Comprida foi muito rápida e os competidores brigaram por cada segundo. O UTV mostrou ótimo comportamento na areia e fechou o desafio em perfeito estado”, comentou Rodrigo Varela. O piloto completou 26 anos neste sábado. “Foi uma comemoração do jeito que eu gosto, na área de box, ao lado da família e dos amigos de equipe e com ótimos resultados.”

Bruno Varela sentiu o gostinho de ser o líder do Brasileiro após a vitória de sábado, mas não desanimou. “As vitórias ficaram em família e seguimos na frente na tabela do Brasileiro. Foi um ótimo fim de semana e a prova, muito bem organizada. Eu já estou de olho nas próximas etapas, para quem sabe assumir a ponta de vez”, disse o vice-líder. A próxima rodada dupla da competição será nos dias 6 e 7 de maio, no Rally Cuesta, em Botucatu (SP).

Resultados UTVs – Rally da Ilha
Domingo (26/3)
1 – #111 – Rodrigo Varela (1º da classe UTV Pro) – 1h38min24 – Can-Am Maverick X3 X RS
2 – #127 – Gustavo Lapertosa/Fabio Zeller – (2º da classe UTV Pro) – 1h38min35 – Can-Am Maverick X3 X RS
3 – #103 – Deninho Casarini (3º da classe UTV Pro) – 1h39min18 – Can-Am Maverick X3 X RS
4- #105 – Bruno Varela (4º da classe UTV Pro) – 1h40min02 – Can-Am Maverick X3 X RS
5 – #112 – Henrique Gutierrez/Andre Munhoz (5º da classe UTV Pro) – 1h40min22 – Can-Am Maverick X3 X RS

Sábado (25/3)
1- #105 – Bruno Varela (1º da classe UTV Pro) – 1h22min14 – Can-Am Maverick X3 X RS
2 – #112 – Henrique Gutierrez/Andre Munhoz (2º da classe UTV Pro) – 1h22min55 – Can-Am Maverick X3 X RS
3 – #127 – Gustavo Lapertosa/Fabio Zeller – (3º da classe UTV Pro) – 1h22min59 – Can-Am Maverick X3 X RS
4 – #111 – Rodrigo Varela (4º da classe UTV Pro) – 1h24min48 – Can-Am Maverick X3 X RS
5 – #131 – Edu Piano (5º da classe UTV Pro) – 1h25min02 – Can-Am Maverick X3 X RS

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja Com a tag , , , , , , , , , |

Brasileiro de Rally Baja – UTVs são maioria no grid em Ilha Comprida (SP)

A bordo do Can-Am Maverick X3 X RS, Irmãos Rodrigo e Bruno Varela e o piloto Deninho Casarini, atual campeão do Rally da Ilha, estão de olho na vitória
Fonte: Mundo Press

Piloto Rodrigo Varela Crédito: Doni Castilho

Piloto Rodrigo Varela Crédito: Doni Castilho

O 10º Rally da Ilha vai movimentar o fim de semana (25 e 26) na cidade de Ilha Comprida, litoral sul de São Paulo. A prova é válida pela terceira e quarta etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja e tem 55 veículos inscritos até o momento. Os UTVs são maioria no grid, com 33 representantes, seguidos pelas motos (17 inscritos) e os quadriciclos (cinco).

A bordo do novo Can-Am Maverick X3 X RS, Rodrigo Varela está na liderança na competição nacional, seguido pelo irmão Bruno. A dupla foi protagonista na abertura do Brasileiro, realizada há duas semanas em Barretos (SP), ao lado do lançamento da Can-Am – que ocupou os quatro primeiros lugares da classificação geral, resultado histórico para os UTVs. “A gente não precisou fazer nada nos veículos desde a prova de Barretos, apenas a manutenção básica mesmo”, contou Rodrigo Varela, que completa 26 anos no sábado.

“Espero que a gente coloque os Maverick X3 X RS no topo do pódio novamente e eu ganhe a vitória de aniversário”, continuou. Apesar de participar das comemorações em família, Bruno Varela promete empenho máximo. “Estou ansioso para acelerar o máximo no Rally da Ilha e buscar o primeiro lugar. Prefiro que a briga fique dentro da família, mas todo mundo quer ganhar”, avisou o irmão caçula, com bom humor.

Outro destaque é o piloto Deninho Casarini, que defende o título dos UTVs no Rally da Ilha. “Eu costumo andar bem em Ilha Comprida, que é marcada por terreno arenoso e altas velocidades. Como a prova completa algumas voltas no mesmo circuito, costumo memorizar o caminho para andar no limite. O carro está 100%, o Can-Am Maverick X3 X RS é indiscutivelmente superior.”

Parcerias e ações sociais – A Can-Am ainda está presente no Rally da Ilha como patrocinadora. O investimento nas provas da Arena Enduro, organizadora do evento, existe desde 2014. “Focamos nas etapas que fazem parte do Campeonato Brasileiro e o patrocínio é fundamental para o desenvolvimento do esporte, ainda mais em uma época em que poucos eventos têm apoio de fábricas”, lembrou Adilson Greco Gaspar, coordenador de PAC (Peças, Assessórios e Vestuário) e Marketing para a América Latina da BRP Brasil, responsável pela Can-Am.

“Os nossos veículos têm forte presença nas provas, que atraem pilotos e equipes que exigem sempre o melhor desempenho, dirigibilidade e inovação. De quebra, a comunidade local é beneficiada pelas ações sociais paralelas aos eventos, além da movimentação que as provas geram nas cidades – por meio da criação de empregos e do aumento do comércio e do turismo locais”, continuou Gaspar.

No Rally da Ilha, as ações sociais irão beneficiar os alunos de 4 a 11 anos da Escola de Pedrinhas, que possui cerca de 95 alunos. O projeto Ideia Fixa conta com o apoio da Can-Am e será o responsável pela visita, marcada para as 9h30 desta sexta-feira (24). Na ocasião, os voluntários entregarão kits e livros para as crianças, além de oferecer muita conversa e carinho.

Programação* – Rally da Ilha 2017
Local – Arena de Eventos de Ilha Comprida (próxima ao Corpo de Bombeiros)

Sábado (25/3)
8h – Briefing
10h – Prólogo com 3 km, para definir as posições de largada
13h – Largada (Deslocamento inicial – 2 Km / Trecho cronometrado – duas voltas de 51 Km / Deslocamento final – 30Km)
19h30 – Briefing

Domingo (26/3)
9h – Largada (Deslocamento inicial – 2 Km / Trecho cronometrado – duas voltas de 64 Km / Deslocamento final – 43 Km)
15h – Premiação

* A programação é fornecida pela organização do evento e está sujeita a alterações.

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja Com a tag , , , , , , , , , , , , , |

Arena Eventos e Can-Am renovam parceria nos campeonatos Baja e Cross Country em 2017

Primeiro evento realizado pela empresa na temporada será o Rally da Ilha e as inscrições estão abertas no site www.rallydailha.com.br para a 10ª edição da competição nas categorias motos, quadriciclos e UTVs
Fonte: Sig Comunicação

Foto: Lucas Barroso

Foto: Lucas Barroso

A Arena Promoções e Eventos, comandada por Henrique Arena, renovou por mais um ano, com o patrocínio da Can-Am, – marca canadense fabricante de quadriciclos e UTVs -, para todas as provas da temporada 2017. A abertura da temporada de competições será nos dias 24, 25 e 26 de março com edição comemorativa de 10 anos do Rallly da Ilha na Estância Balneária de Ilha Comprida, localizada no litoral Sul de São Paulo.

Este é o quarto ano consecutivo da parceria entre a Can-Am e a Arena Eventos. “A renovação do contrato de patrocínio com a Can-Am reforça nossa satisfação com o trabalho realizado por toda a equipe, comprova que o rali pode ser um esporte viável para as empresas investirem. Basta fazer um trabalho sério e com responsabilidade. Nosso compromisso aumenta a cada ano, bem como o desejo de cada vez mais incentivar e promover boas práticas que vem sendo apoiadas pela marca, que contribuam para o desenvolvimento esportivo e das ações sociais envolvidas, como o Projeto Ideia Fixa“, declara o diretor de prova, Henrique Arena.

Segundo Adilson Greco Gaspar, coordenador de PAC (Peças, Acessórios e Vestuário) e Marketing para América Latina da BRP Brasil, a Can-Am procura investir no segmento de competições no Brasil. “Focamos a principal competição do país em que nossos veículos estão inseridos, no caso o Campeonato Brasileiro. Com isso, garantimos a maior abrangência por modalidades e categorias. Esse apoio é fundamental para o desenvolvimento do esporte, ainda mais numa época em que poucos eventos têm apoio de fábricas, e assim os pilotos têm acesso a uma melhor estrutura para competir, sempre focando no incremento da segurança”, destaca.

“A parceria com a Arena Eventos proporciona forte presença da Can-Am no Campeonato Brasileiro, pois a empresa organiza diversas etapas do certame nacional. Além de corresponder ao que os pilotos pedem e precisam, essas provas atendem nossos objetivos esportivos, comerciais e sociais”, enfatiza Adilson Greco Gaspar.

“Os pilotos gostam bastante das provas e os nossos veículos estão sendo muito bem aceitos por um público que exige sempre o melhor desempenho, dirigibilidade e inovação. De quebra, a comunidade é beneficiada pelas ações sociais paralelas aos eventos, além da movimentação que as provas geram nas cidades – por meio da criação de empregos e do aumento do comércio e do turismo locais.”, finaliza o representante da BRP Brasil.

Conforme os calendários da Confederação Brasileiro de Motociclismo – CBM e Confederação Brasileira de Automobilismo – CBA, foram inseridas seis etapas nos campeonatos brasileiros de rally Baja e Cross Country que estão sobre a organização da Arena Promoções e Eventos: 10º Rally da Ilha (Baja), 11º Rally Cuesta Off-Road (Baja e Cross Country), 3º Rally do Jalapão 500 (Cross Country), 1º Rally de Inverno/São Manuel (Baja), 3º Rally Serra Azul (Baja e Cross Country) e 11º Rally Rota Sudeste (Baja e Cross Country). Em cada etapa, os competidores farão dois dias de disputas.

A novidade para a temporada 2017 de competições será a 1ª edição do Rally de Inverno válido para o Campeonato Brasileiro de Rally Baja nas categorias moto, quadriciclo e UTVs, que será realizada nos dias 14, 15 e 16 de julho, na cidade de São Manuel, interior paulista. “A competição será válida para as 7ª e 8ª etapas do Brasileiro Baja e vamos preparar um percurso diferenciado”, comenta Arena.

As disputas nacionais de Rally Baja são compostas de sete provas e 14 etapas (rodadas duplas). Já no Rally Cross Country serão nove provas e 15 etapas em formato de rodada dupla e a etapa final será de um dia. “O nosso objetivo é planejar e organizar bons ralis. Contamos com uma equipe técnica comprometida para preparar roteiros sensacionais”, enfatiza Henrique.

A 10ª edição do Rally da Ilha é uma realização da Arena Promoções e Eventos e têm a supervisão da CBM – Confederação Brasileira de Motociclismo. A prova conta com o patrocínio da Can-Am, Prefeitura Municipal de Ilha Comprida e apoio do Divino Fogão e Penna Off-road.

PROGRAMAÇÃO DO RALLY DA ILHA 2017
Local – Arena de Eventos. ( próximo ao Corpo de Bombeiros)
Wp-S-24º44.903 W 47º33.025.

Sexta-feira, 24 de março
14h00 às 17h30 – Secretaria de prova
15h00 às 18h00 – Vistoria

Sábado, 25 de março -
Local – Arena de Eventos. (próximo ao Corpo de Bombeiros)
Wp-S-24 º44.903 W 47º33.025
7h00 às 8h00 – Secretaria de prova
7h00 às 8h00 – Vistoria
8h00 – Briefing
10h00 – Prólogo com 3,0 km (Valendo posição de largada e especial)
13h00 – Largada (DI- 2Km / TE 2 voltas de 51Km / DF-30Km)
19h30 – Briefing

Domingo, 26 de março
09h00 – Largada (DI- 2Km / TE 2 voltas de 64Km / DF-43Km)
Local – Arena de Eventos
15h00 – Premiação

Hospedagem
Hotel Oficial da prova
Pousada Recanto
Rua Girassol, 65 – Balneário Meu Recanto
(13) 3842-3838 / 3842-1546 / (11) 96853-6869 WhatsApp
www.pousadarecantoilhacomprida.com.br

Calendário do Campeonato Brasileiro de Rally Baja
1ª e 2ª etapas – 10 a 12/03 – Rally de Barretos
3ª e 4ª etapas – 25 e 26/03 – Rally da Ilha (Arena Eventos)
5ª e 6ª etapas – 06 e 07/05 – Rally Cuesta Off Road (Arena Eventos)
7ª e 8ª etapas – 15 e 16/07 – Rally de Inverno/São Manuel (Arena Eventos)
9ª e 10ª etapas – 07 e 08/10 – Rally Serra Azul (Arena Eventos)
11ª e 12ª etapas – 11 e 12/11 – Rally Rota Sudeste (Arena Eventos)
13ª e 14ª etapas – 02 e 03/12 – Rally dos Amigos
* Sujeito a alterações

Calendário do Campeonato Brasileiro de Rally Cros Country:
1ª e 2ª etapas – 10 a 12/03 – Rally de Barretos
3ª e 4ª etapas – 05 a 09/04 – RN1500
5ª e 6ª etapas – 06 e 07/05 – Rally Cuesta Off Road (Arena Eventos)
7ª e 8ª etapas – 02 a 04/06 – Rally Baja Jalapão (Arena Eventos)
9ª e 10ª etapas – 31/06 a 02/07 – Rally Rota SC
11ª e 13ª etapas – 19 a 26/08 – Rally dos Sertões
11ª e 12ª etapas – 07 e 08/10 – Rally Serra Azul (Arena Eventos)
13ª e 14ª etapas – 11 e 12/11 – Rally Rota Sudeste (Arena Eventos)
15ª etapa – 02 e 03/12 – Rally dos Amigos
* Sujeito a alterações

Publicado em Campeonato Brasileiro de Rally Baja, Can-Am Maverick Com a tag , , , , , , , , , , , , , |

Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo vence Guidão de Ouro de “Melhor UTV”

Premiação, definida pelos leitores da revista Dirt Action, ainda destaca Enrico Amarante (Melhor Piloto de UTV) e Geison Belmont (Melhor Piloto de ATV)
Fonte: Mundo Press

Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo é o “Melhor UTV” do Prêmio Guidão de Ouro 2017 Crédito: Divulgação/Can-Am

Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo é o “Melhor UTV” do Prêmio Guidão de Ouro 2017 Crédito: Divulgação/Can-Am

O Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo garantiu o troféu de “Melhor UTV” no Guidão de Ouro 2017. O prêmio, que está em sua 12ª edição, foi definido após votação aberta aos leitores da Revista Dirt Action, uma das principais publicações nacionais do segmento off-road. Enrico Amarante (Melhor Piloto de UTV) e Geison Belmont (Melhor Piloto de ATV), que aceleram veículos da marca canadense, são outros destaques.

Promovida anualmente pela Adrenal Editora, a eleição considerou a performance nas competições da temporada 2016. O Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo ditou ritmo nas provas e acumulou títulos no Brasileiro de Rally Baja (geral, classe UTV Turbo e classe UTV Pró), na classe UTV Pró do Rally dos Sertões e no Brasileiro de Rally Cross Country – na classificação geral e na UTV Pró, com o piloto Enrico Amarante. Geison Belmont utilizou o quadriciclo Can-Am Renegade e foi o campeão do Rally Baja Jalapão.

“A Can-Am trabalha de forma incansável para trazer inovações ao mercado. Temos forte presença no Guidão de Ouro a cada ano, o que representa mais uma forma importante de reconhecimento do público apaixonado pelo off-road”, disse Fernando Alves, gerente da operação BRP na América do Sul, grupo responsável pela Can-Am.

O troféu conquistado pelo Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo é o quinto da fábrica canadense desde quando as categorias para UTVs e quadriciclos foram criadas no Guidão de Ouro, em 2014. A marca ainda comemora ao lado dos pilotos que aceleram seus veículos nas principais competições do país, responsáveis por mais cinco taças. Confira:

Galeria de troféus da Can-Am no Prêmio Guidão de Ouro
Can-Am Maverick 1000 X ds Turbo – Melhor UTV 2017
Can-Am Outlander 1000 MAX XT-P – Melhor ATV 2016
Can-Am Maverick MAX X rs 1000R – Melhor UTV 2015
Can-Am Renegade 1000 Xxc – Melhor ATV 2015
Can-Am Outlander 1000 X mr – Melhor ATV 2014

Pilotos
Enrico Amarante – Melhor Piloto de UTV 2017
Geison Belmont – Melhor Piloto de ATV 2017
Bruno Sperancini – Melhor Piloto de UTV 2016
Bruno Sperancini – Melhor Piloto de UTV 2015
Gabriel Varela – Melhor Piloto de ATV 2014

Publicado em CAN-AM Com a tag , , , , , , , , , , |

Brasileiro de Rally Baja – Can-Am Maverick X3 X RS é absoluto nas etapas iniciais

Novo UTV da marca canadense volta a dominar os quatro primeiros lugares da classificação geral do Rally Barretos, abertura do campeonato; Rodrigo Varela é líder
Fonte: Mundo Press

Credito: Gustavo Epifanio

O Rally Barretos teve fim neste domingo (12) e uma forte constatação: o domínio dos UTVs Can-Am Maverick X3 X RS. O evento, válido pelas duas etapas iniciais do Campeonato Brasileiro de Rally Baja, destacou o lançamento da marca canadense nas quatro primeiras colocações da classificação geral. O feito histórico foi atingido nos dois dias de prova, após 250 quilômetros percorridos na região de Barretos (SP), superando os veículos de todas as outras categorias (motocicletas, carros e quadriciclos).

Depois de sentirem a potência e a dirigibilidade do novo UTV na primeira etapa, os pilotos reservaram o domingo para pisar fundo. Os tempos baixaram ainda mais e, na categoria para UTVs, nove entre os 10 primeiros estavam a bordo do Can-Am Maverick X3 X RS. Na soma dos resultados, que incluíram segundo lugar na abertura e vitória no segundo dia, Rodrigo Varela foi o campeão do Rally Barretos e inicia o Brasileiro na liderança absoluta (geral, UTVs e classe UTV Pró). Bruno Varela ocupa a segunda colocação, seguido por Enrico Amarante.

“Os pilotos que aceleram o Can-Am Maverick X3 X RS competiram em um nível fortíssimo, e o mais impressionante é que ainda temos muito mais desempenho para tirar do UTV”, afirmou Rodrigo Varela. “Estamos muito felizes com o equipamento e empolgados com o início do Brasileiro, que promete disputas emocionantes. Os UTVs estão muito velozes, sem deixar a segurança de lado. O que vai fazer a diferença na temporada serão os detalhes, a habilidade de cada piloto”, apostou. A terceira e a quarta etapas do campeonato nacional estão marcadas para os dias 25 e 26 de março no Rally da Ilha, em Ilha Cumprida (SP).

Classificação Rally Barretos – Abertura do Brasileiro de Rally Baja

2ª Etapa – Domingo (12) – Categoria UTVs
1 – RODRIGO VARELA – 1:40:28 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
2 – BRUNO VARELA – 1:40:57 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
3 – ENRICO AMARANTE ALMEIDA – 1:41:30 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
4 – GUSTAVO LAPERTOSA – 1:42:44 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
5 – REINALDO TADEU CANGUEIRO – 1:46:55 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
6 – ANDRE HORT – 1:47:35
7 – DANIEL MAHSEREDJIAN – 1:47:37 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
8 – FABIO CITRO – 1:48:26 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
9 – VALDIR APARECIDO DO AMARAL – 1:49:11 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
10 – ADRIANO JOSE BENVENUTTI – 1:49:23 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS

1ª Etapa – Sábado (11) – Categoria UTVs
1 – DENINHO CASARINI – 1:43:52 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
2 – RODRIGO VARELA – 1:45:05 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
3 – BRUNO VARELA – 1:45:12 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
4 – ENRICO AMARANTE – 1:45:57 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
5 – EDU PIANO – 1:46:50.6 – - CAN-AM MAVERICK X3 X RS
6 – GUSTAVO LAPERTOSA – 1:48:24 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
7 – WILKER DE CAMPOS – 1:48:30 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
8 – REINALDO TADEU CANGUEIRO – 1:50:20 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
9 – FABIO CITRO – 1:51:26 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS
10 – ANDRE MACEDO CORREA – 1:51:29 – CAN-AM MAVERICK X3 X RS

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja Com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , |

UTVs abrem a temporada do Brasileiro de Rally Baja em Barretos (SP)

De olho na vitória, Deninho Casarini e os irmãos Rodrigo e Bruno Varela aceleram o UTV Can-Am Maverick X3 X RS neste fim de semana
Fonte: Mundo Press

Brasileiro de Rally Baja tem início com destaque para o novo UTV Can-Am Maverick X3 X RS Crédito: Divulgação/Can-Am

Brasileiro de Rally Baja tem início com destaque para o novo UTV Can-Am Maverick X3 X RS Crédito: Divulgação/Can-Am

A luta pelos títulos do Campeonato Brasileiro de Rally Baja tem início neste fim de semana (11 e 12) na 11ª edição do Rally Barretos, cidade do interior de São Paulo. A categoria para UTVs é atração à parte e conta com grid superior a 35 veículos. De olho na vitória, Deninho Casarini e os irmãos Rodrigo e Bruno Varela aceleram com o Can-Am Maverick X3 X RS, lançamento da marca canadense.

Casarini está pronto para defender o título da classe UTV Pró. “Vou aproveitar para sentir o X3 e investir na adaptação ao veículo, já que o modelo é totalmente inovador, promete revolucionar o esporte. A prova em Barretos é muito bem organizada e não vejo a hora de começar a temporada do Brasileiro de Baja”, disse. Rodrigo Varela reforçou. “Como o evento abre o campeonato, sempre é uma das corridas mais esperadas. Estou muito ansioso para largar, ainda mais para pisar fundo no X3 e ver como ele vai se comportar. Fizemos muitos testes e o UTV é surpreendente.”

Novidade na equipe – Outra novidade da Can-Am é o reforço do piloto Bruno Varela. Integrante da conhecida “Família da Poeira”, cujo patriarca é o bicampeão mundial de rally cross country (entre os carros da T2) Reinado Varela, o caçula foi campeão brasileiro de rally baja em 2015 pela categoria Production. Além do primogênito Rodrigo, a equipe Can-Am ainda conta com Gabriel Varela, atual campeão brasileiro de baja (geral e classe UTV Turbo) e do Rally dos Sertões (classe UTV Pró), que disputa a temporada off-road norte-americana em 2017.

Bruno Varela está em contagem regressiva para a estreia em Barretos. “Estou muito feliz em poder competir na mesma equipe dos meus irmãos e bastante motivado para a largada. Correr de Can-Am era um sonho e o Can-Am Maverick X3 mudou totalmente o conceito dos UTVs nas competições. O veículo é resistente, forte e ágil, além de possuir um longo curso de suspensão, o que nos permite saltar à vontade”, concluiu o piloto.

Publicado em CAN-AM, Campeonato Brasileiro de Rally Baja Com a tag , , , , , , , , , , |

Brasileiro conquista vitória inédita entre os UTVs do Mint 400

Piloto Gabriel Varela faz história na lendária prova off-road dos Estados Unidos, a bordo do UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo
Fonte: Mundo Press

Gabriel Varela faz história no Mint 400 com o UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo Crédito: Divulgação

Gabriel Varela faz história no Mint 400 com o UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo Crédito: Divulgação

Gabriel Varela fez história a bordo do Can-Am Maverick Max Xds Turbo. O piloto conquistou vitória inédita para o Brasil entre os UTVs do Mint 400, lendária prova off-road norte-americana, e comemorou o título da classe UTV Unlimited Pro na noite deste sábado (4). O desafio incluiu 400 milhas (ou 643,73 km) de desafios pelo deserto do Mojave, em Las Vegas.

O feito representou a estreia do atual campeão brasileiro de Rally Baja em competições fora do país. “A ideia inicial era aproveitar ao máximo a experiência. Sair daqui com uma vitória significa que o objetivo foi mais do que cumprido”, explicou Varela. Ele contou com o navegador norte-americano Kevin Shrive. “Tive muitas dificuldades desde o início do percurso, até um pneu furado no final, mas ainda consegui ficar entre os 20 primeiros na classificação geral dos UTVs no Mint 400, que contou com 106 inscritos.”

O circuito no deserto ficou ainda mais desafiador a cada volta, por conta da passagem dos veículos. “A prova é realmente muito dura, com bastante pedra e longos trechos de trial. Houve sequência de lombas durante 10, 15 milhas direto, sem ter uma reta para descansar. Andamos grande parte da prova com o corpo chacoalhando dentro do carro, sem contar as pedras que tinham o tamanho de uma roda. Valeu muito a experiência e estou muito feliz pelo resultado”, concluiu o piloto, que planeja disputar outras corridas válidas pelo campeonato norte-americano na temporada 2017.

Publicado em CAN-AM, Can-Am Maverick Com a tag , , , , , , , , , , , |

Gabriel Varela representa o Brasil no tradicional Mint 400

Campeão brasileiro de rally baja encara a prova mais disputada do calendário off-road norte-americano com o UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo.
Fonte: Mundo Press

UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo do piloto Gabriel Varela no Mint 400 2017 Crédito: Divulgação

UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo do piloto Gabriel Varela no Mint 400 2017 Crédito: Divulgação

Gabriel Varela está em contagem regressiva para a largada do Mint 400, marcada para este sábado (4) em Las Vegas. A tradicional corrida representa o desafio mais disputado do calendário off-road dos Estados Unidos e aguarda 330 veículos – sendo 106 UTVs. Atual campeão brasileiro de rally baja, o piloto tem 400 milhas (ou 643,73 km) pela frente nas famosas paisagens do deserto do Mojave. Ele compete ao lado do navegador norte-americano Kevin Shrive, com o UTV Can-Am Maverick MAX Xds Turbo.

“Além de estar pela primeira vez na prova, que é extremamente difícil, o Mint 400 representa a minha estreia em competições fora do país. O campeonato norte-americano é muito forte, os melhores pilotos de UTV do mundo estão na disputa e eu terei a oportunidade de acelerar com eles. O Mint 400 sempre foi um sonho – e dos mais desafiadores possíveis”, contou Gabriel Varela. O piloto já está em Las Vegas para adaptação ao fuso horário e os últimos preparativos.

Filho do bicampeão mundial de rally cross country Reinaldo Varela, o brasileiro espera grandes dificuldades. “O meu pai disse que o Mint 400 foi a etapa mais difícil que ele correu. A prova é bem diferente, a largada é às 6h com faróis e luzes de led acesas, já que ainda está escuro. O circuito no deserto fica pior a cada volta. A passagem dos veículos deixa a pista muito esburacada, com crateras de até dois metros de profundidade”, explicou.

Gabriel Varela está familiarizado com o UTV, já que foi campeão brasileiro no ano passado com o Can-Am Maverick Xds Turbo. “Vou correr no Mint 400 com a versão MAX do UTV que foi o meu grande aliado na temporada 2016. O veículo foi preparado pela equipe Lonestar Racing com foco total nesta corrida. Por conta dos obstáculos do deserto, o chassi foi alongado, mas o motor e a parte eletrônica são 100% originais de fábrica”, concluiu o piloto.

Publicado em CAN-AM, Can-Am Maverick Com a tag , , , , , , , , , , , |

Montreal Powersports inaugura loja em Balneário Camboriú (SC)

Concessionária oferece a linha completa dos produtos BRP em espaço exclusivo no coração do mercado náutico catarinense.
Fonte Mundo Press

Nova loja Montreal Powersports em Balneário Camboriú (SC) Crédito: Guilherme Fernandes/Montreal Powersports

Nova loja Montreal Powersports em Balneário Camboriú (SC) Crédito: Guilherme Fernandes/Montreal Powersports

A Montreal Powersports chegou em grande estilo a Balneário Camboriú, Santa Catarina. A nova loja da concessionária BRP oferece linha completa das motos aquáticas Sea-Doo, dos motores de popa Evinrude e dos veículos on-road e off-road da Can-Am. Com 600 metros quadrados, o espaço é exclusivo para show room e comercialização dos produtos, roupas e acessórios assinados pelas marcas do grupo canadense.

“Balneário Camboriú é o coração do mercado náutico no Estado”, comentou Leonardo Neto, da Montreal Powersports, que já é referência em solo catarinense por conta das operações da loja em Chapecó. “Temos ótimas expectativas para os negócios em Balneário Camboriú. Estamos em uma localização estratégica, a poucos metros da principal marina da região. A loja é climatizada e ficou muito bonita, segue os novos padrões de lay out da BRP”, continuou.

A inauguração oficial da nova Montreal Powersports foi no dia 9 de fevereiro, com a presença de clientes, parceiros e do vice-presidente e gerente geral regional da BRP na América Latina, Robert Lumley. “Ele apresentou os lançamentos da BRP para 2017. Os modelos já estão disponíveis na Montreal, com pronta entrega. Alguns destaques entre os lançamentos são as motos aquáticas Sea-Doo GTI, Spark Trixx e GTR 230, além do UTV Can-Am Maverick X3”, concluiu Neto. O site oficial da concessionária é www.montrealpowersports.com.br .

Montreal Powersports – Balneário Camboriú (SC)
Endereço:
Avenida Normando Tedesco, 5050 – Barra Sul
Telefone: (47) 2033-0014
Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30; Aos sábados, das 9h às 13h.

Montreal Powersports – Chapecó (SC)
Endereço: Avenida Getúlio Dorneles Vargas, 1505 – Centro
Telefone: (49) 3323-0084
Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h; Aos sábados, das 8h às 12h.

Publicado em CAN-AM Com a tag , , , , , , , , , |

Gabriel Varela – Família do esporte

Apesar de começar a praticar o esporte fora de estrada cedo, ingressou nas competições tarde,tendo como influência o pai. Hoje, a família se encontra nas pistas, em provas, muitas vezes competindo entre si. Começou correndo com quadriciclos e conquistou o prêmio Guidão de Ouro da Dirt Action, em 2015 (Os Melhores de 2014), de melhor piloto da modalidade. Se transferiu para os UTVs em 2015 e, apesar da pouca experiência com o novo veículo, conquistou títulos nacionais pilotando um equipamento praticamente original.Gabriel esteve na redação da Dirt Action e bateu um longo papo com a gente, falando sobre sua experiência no UTV, as dificuldades nos campeonatos brasileiros e seus planos para o futuro, inclusive a possibilidade de participar em provas internacionais.

Crédito: IC Fotos

Crédito: IC Fotos

DA – Apesar de praticar o esporte off-road desde pequeno, você passou a competir somente a partir de 2013 e já conquistou títulos nacionais. Fale um pouco sobre sua vida no off-road.
GABRIEL – Nasci em uma família apaixonada pelo off-road. O meu pai está nesse mundo há 33 anos e desde pequeno eu tenho contato com a modalidade. Comecei a fazer trilha cedo, sempre em contato com a terra. Mas somente em 2013 passei a competir como profissional, participando do Brasileiro de Rally, na categoria quadriciclos. Em 2015 eu me transferi para o UTV e conquistei o título de campeão brasileiro no ano passado.
Você disse que sua família pratica o esporte. Como é a competitividade entre vocês?
Sai briga (risos)! Não tem jeito, toda entrada de pista rola aquela aposta, de quem vai ser o mais rápido, de quem vai superar os demais. É pauta em todos os jantares em família.
Conquistar o título brasileiro em seu primeiro ano nos UTVs passa uma impressão de que a mudança não foi difícil. Como foi essa transferência?
Depois de três anos com os quadriciclos, decidi pilotar um UTV. O ano passado foi um período de adaptação. Realmente, trocar o guidão pelo volante não é uma tarefa fácil. Mas a experiência nos anos anteriores no Brasileiro foi fundamental para a adaptação. Você sabe como são as provas, e isso ajuda. O UTV também tem quatro rodas e, com a experiência anterior, eu sabia o que tinha que fazer, sempre escolhendo o lugar onde seu equipamento vai passar mais suave. O quadriciclo me ajudou muito a competir no UTV.
Na última temporada você competiu com um UTV praticamente original, como determina a sua categoria, e ainda assim venceu na geral, superando veículos preparados…
Isso realmente foi bom. Os organizadores do rali criaram uma categoria para competir com UTVs praticamente originais. Você compra o veículo na concessionária e tem que participar com ele original, só podendo utilizar produtos que são vendidos nas concessionárias. Se deseja trocar as rodas, só pode usar modelos oferecidos nas lojas. A única modificação no item segurança que pode ser realizada se refere aos pneus. Você pode escolher a marca e o modelo para usar nas competições. O resto, como suspensões, escapamento, barra de direção e motor, não. Isso acaba deixando a categoria equilibrada e barata; todos têm o mesmo equipamento. E tem a categoria Pro, onde você pode gastar o quanto desejar. A preparação é liberada, e o céu é o limite. Mas com a minha vitória na geral, penso que não é só o UTV que faz a diferença: a pilotagem é importante na prova. Conquistei o título na geral, competindo com pilotos de alto nível, competidores oficiais de grandes marcas, como Can-Am e Polaris, com muita experiência em UTVs.
Você participou de dois campeonatos, o Brasileiro de Rally Baja e o Brasileiro de Rally Cross Country. Eles não são muito diferentes? Como é competir em dois eventos ao mesmo tempo?
São duas provas completamente diferentes. No baja você vai sem navegador, sem um copiloto para lhe orientar e passar todas as instruções da prova, o roteiro. Você pilota sozinho, sem ajuda, só seguindo as setas. Os trechos são marcados, normalmente com 150 km de percurso em cada prova. É totalmente cercado por bumping e com setas orientando a direção a seguir, aonde estão os pontos mais desafiadores e até as zonas de radar, onde é preciso diminuir a velocidade e manter uma média de tempo. Já no cross country, o UTV muda completamente. Os equipamentos são outros. Por exemplo, é necessário um tanque de combustível extra, para maior autonomia. Também é obrigatório o navegador, que recebe uma planilha com todo o percurso. As provas são mais longas, como o Sertões, onde chegamos a percorrer 500 km de especial em um único dia. A tocada também é outra: no baja você anda livre e sem perigo; no Cross Country é preciso andar mais com a cabeça, administrando o pé. Não é toda curva que você ataca 100%, tem que andar rápido onde seus olhos enxergam.
Aproveitando que estamos falando sobre os campeonatos brasileiros, como você vê os nossos eventos? Eles precisam de alguma mudança?
Os dois campeonatos estão muito bons. O baja apresentou muitas provas, cruzando quase que o Brasil inteiro, com etapas no Tocantins, em Santa Catarina e São Paulo. Foi um campeonato bem completo, com todos os tipos de terreno e clima. Já o cross country apresentou provas mais distantes. Por exemplo, não aconteceram provas em São Paulo – foram mais nas regiões Nordeste e Sul, e isso requer mais dinheiro e tempo para participar do campeonato. Em 2016 nós tivemos uma prova com um formato diferente, as 6 Horas de Cordeirópolis, dentro de um autódromo de terra. Sendo uma prova de seis horas em dupla, nos obrigou ter muita estratégia e apoio completo da equipe. Largamos um ao lado do outro, alinhados, bem diferente de uma prova de rali. O gate tinha 25 carros alinhados para dividir a primeira curva de lado. Foi uma grande experiência. Tivemos problemas na classificação e fomos obrigados a largar na última posição, mas na terceira volta já estávamos próximos dos ponteiros e acabamos conquistando a vitória. Ela foi marcante também porque meu companheiro foi o meu pai! Nunca havia competido com ele, nem pilotando nem navegando. Foi a prova mais emocionante do ano pra mim. Ver o UTV andando na pista sendo pilotado pelo seu pai e obter um grande resultado foi mesmo incrível.

Confira a matéria completa na Revista Dirt Action #257
Publicado em CAN-AM Com a tag , , , , , , , , , |